Mobilidade Urbana

Aeroporto de Confins sofre mudanças no tráfego

 

 

 

 

 

 


Mudanças no Trânsito em Confins

 

Belo Horizonte (02/05/2020) - Devido aos trabalhos em andamento na obra de reforma e modernização do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, a Infraero informa que, a partir do dia 3 de maio, será realizada uma alteração de fluxo nas vias próximas.

A rodovia LMG 800 (Linha Verde) terá fluxo em mão dupla por toda extensão do aeroporto. A via de acesso ao terminal de passageiros – localizada logo após o estacionamento A – será interditada. Para quem trafega no sentido Confins, será necessário seguir pela rodovia até o fim do estacionamento E para fazer o acesso ao aeroporto, virando à esquerda. Quem trafega no sentido Belo Horizonte, deverá virar à direita antes do estacionamento E para chegar ao aeroporto.

Feito esse acesso, somente será possível retornar à rodovia passando pela via central do Terminal de Passageiros, pois o acesso existente antes do terminal será interditado. Essas medidas estarão em vigor pelo período aproximado de 60 dias. Serão instalados nova sinalização, redutores de velocidade e passarela para pedestres, para garantir a segurança e bom fluxo. A fiscalização de trânsito no local será intensificada.

Solicitamos aos passageiros e usuários atentarem para as mudanças no trânsito e anteciparem sua chegada ao aeroporto.

A Infraero agradece a compreensão e colaboração.

Assessoria de Imprensa - Infraero

 

Santos Dumont e Paraná serão fechadas para trânsito de carros

Gráfico das mudanças

Bicicletas e veículos de moradores ou comerciantes serão permitidos no local O motorista que passa pelo centro de Belo Horizonte deve ficar atento para mudanças definitivas no trânsito da região. A partir de hoje, começa a instalação do canteiro de obras para a adequação de avenidas à futura passagem dos ônibus articulados do sistema BRT (Bus Rapid Transit). Já no dia 15 de maio, um trecho de três quarteirões da avenida Santos Dumont, entre as ruas da Bahia e São Paulo, será interditado nos dois sentidos, permitindo a circulação apenas de bicicletas e pedestres, além de trânsito local. Pela avenida passam, diariamente, 18 mil carros. As 171 linhas de ônibus que circulam pelo trecho serão remanejadas para vias paralelas.

A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) garantiu estar preparada para que a região não fique paralisada durante essa primeira etapa da obra, prevista para ser concluída em outubro. No entanto, o secretário municipal de Obras e Infraestrutura, Murilo Valadares, reconheceu que não há como minimizar os efeitos no trânsito. "A população terá de se adequar e conviver com essas mudanças porque é para o benefício de todos", alegou. Outras etapas estão previstas, uma vez que toda a extensão das avenidas Santos Dumont e Paraná passará por adaptações, como a instalação de piso de concreto e de estações de transbordo.

O BRT funciona como uma espécie de metrô, em que a passagem é paga antes e o embarque e o desembarque são feitos em nível. Haverá um pista lateral, em cada sentido, destinada ao trânsito local e a uma ciclovia. A próxima etapa da obra deverá começar após o período chuvoso, em 2013, quando novas mudanças no trânsito, dessa vez no entorno da avenida Paraná, serão necessárias. A obra, completa, tem previsão de ser concluída em outubro de 2013. O motorista comum não mais poderá circular pelas duas vias após as intervenções.

Quando as adaptações estiverem prontas, o eixo Paraná/Santos Dumont (entre rua da Bahia e avenida Amazonas) irá receber apenas os veículos articulados dos corredores do BRT das avenidas Antônio Carlos e Cristiano Machado. Os ônibus passarão pelo "circuito" e retornarão às avenidas de origem (confira ao lado). Nas extremidades das avenidas Paraná (na esquina com Amazonas) e Santos Dumont (na esquina com Bahia), serão construídas rotatórias de manobra dos ônibus do BRT. Para o perito e especialista de trânsito da Polícia Técnico-Científica Marco Paiva, as intervenções no hipercentro para a construção das vias do BRT deixarão o trânsito ainda mais caótico e confuso.

Ele faz ainda um alerta: o tráfego pode até mesmo parar na região. "Quando se cria uma zona de retenção, automaticamente o fluxo de trânsito é desviado para as vias adjacentes. Só que as ruas do centro já estão bastante saturadas 

e não têm estrutura para receber essa frota". O especialista afirma ainda que há uma falta evidente de planejamento e estrutura para a realização das obras na capital. "O que percebemos na implantação do BRT é que a prefeitura só está apagando incêndio. Não teve um projeto pensado a longo prazo". A solução,  apontada pelo especialista, é a criação de políticas públicas de incentivo ao esvaziamento do hipercentro, como a criação de rotas alternativas. BHTrans nega que ruas irão parar com a alteração de fluxo A concentração do fluxo de veículos nas vias adjacentes à avenida Santos Dumont, devido à interdição da avenida para receber os ônibus articulados do BRT, não é encarada como um problema pela BHTrans. "Os modelos de circulação que estamos utilizando permitem o fluxo dos carros. Evidentemente que não será igual ao de hoje, mas o trânsito não irá parar. Contudo, terá que ser feito algum sacrifício por parte da população", disse o presidente da BHTrans, Ramon Victor Cesar. Os veículos serão desviados para as ruas Guaicurus e Caetés e, de acordo com o órgão, o fluxo diário nas duas vias é menor que o da avenida Santos Dumont. O presidente ressalta ainda que o BRT ajudará na redução dos congestionamentos. "Vamos consolidar naquelas avenidas muitos ônibus que circulam hoje nas demais ruas do centro. Estamos aliviando determinadas vias e permitindo a redistribuição do tráfego naquela região", contou.

Fonte: Jornal O Tempo

 

Construção de trincheira no Belvedere deixa o trânsito lento até o fim do ano

Engarrafamento na MG-030, no acesso para o bairro Belvedere, na região Centro-Sul de BH
O martírio enfrentado ontem pelos motoristas que seguiam pela MG-030, em Nova Lima, em direção a Belo Horizonte, deve se estender pelos próximos nove meses, ou seja, até o fim do ano. Esse é o prazo para a construção de uma trincheira que ligara a rodovia à BR-356, no sentido Savassi.

Desvios implantados na região têm causado congestionamentos em ambas as vias. Ontem, as filas de carros chegaram a 4 km no sentido Belo Horizonte e a 2 km no sentido Nova Lima. O objetivo da obra é desafogar o trânsito no bairro Belvedere, na região Centro-Sul da capital.

A intervenção faz parte das obras do complexo Viário Sul. O projeto ainda inclui a alça que liga a 356 à MG-030, no sentido Nova Lima, já concluída. Outra obra que atrapalha o tráfego na MG-030, segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), acontece na entrada do condomínio Vale dos Cristais. O asfalto cedeu com as chuvas de janeiro, e as intervenções para a recomposição do aterro devem ficar prontas em três meses.

Apenas duas das quatro faixas estão seno utilizadas no trecho. "Todos os dias, temos congestionamentos aqui nos horários de pico. Porém, o problema aumentou com as obras da trincheira", disse o sargento Gilson da PMRv. Segundo ele, os congestionamentos maiores ocorrem nos horários das 6h às 8h e das 17h às 19h. O consultor de mídias sociais João Siqueira, 25, sai de Belo Horizonte e vai para Nova Lima todos os dias para trabalhar.

Ele ficou preso no trânsito, ontem, por 40 minutos em um trajeto que costuma fazer na metade do tempo. "O trânsito aqui já é bem congestionado, e hoje está ainda pior", afirmou. Para o especialista em trânsito David Magalhães, os transtornos dos motoristas vão se estender até o fim das obras, mas, com a trincheira, o trânsito vai melhorar.

 

Fonte: Jornal O Tempo

NATÁLIA OLIVEIRA

 
 

ClimaTempo

66°
19°
°F | °C
Clear
Wind: N at 0 mph
Fri

57 | 77
13 | 25
Sat

57 | 77
13 | 25
Sun

59 | 75
15 | 23
Mon

55 | 75
12 | 23

Newsletter

Loteria

Horóscopo

Facebook

Times